(11) 4266-0513 (11) 4249-2545 (11) 97011-0268 (11) 94797-6909

Alcoolismo na terceira idade

Alcoolismo na terceira idade

O vício em álcool é uma doença que não escolhe idade. Hoje em dia bem sabemos que o alcoolismo atinge muitos jovens, inclusive, em alguns casos, adolescentes. No entanto, é importante salientar também que o alcoolismo pode atingir pessoas de mais idade. Os motivos são os mais variados e podem ser desde solidão, uma procura para amenizar algum sofrimento, entre outros.

Além disso, assim como muitas vezes ocorre com os mais jovens, os idosos também não percebem que estão entrando no estágio dependência do álcool. Isso, inclusive, também dificulta posteriormente um tratamento mais adequado. É por isso que, nesse contexto, a atenção da família é de suma importância para que assim possa ser conectado qualquer comportamento que denote um resquício de alcoolismo.

As consequências do alcoolismo na terceira idade

Um dos fatores que dificulta um diagnóstico preciso envolvendo o alcoolismo na terceira idade, é que alguns dos seus sintomas podem ser confundidos com transtornos e doenças comuns que ocorrem entre as pessoas de idade mais avançada. É importante também salientar que questões de cunho emocional, tais como a solidão, experiências dolorosas de vida, algumas frustrações, entre outros problemas, podem ser o gatilho para o idoso ou a idosa procurar as bebidas alcoólicas. Nesse aspecto, é comum detectar que algumas pessoas da terceira idade já são viúvas e vivem solitárias, sendo assim, elas passam a procurar nas bebidas uma válvula de escape.

Diante disso é que a presença da família ganha contornos muito importantes. O diálogo, nesse caso, é essencial, pois denota carinho e mostra que o idoso é bem quisto, o fazendo se sentir mais valorizado e amado.

No caso dos sintomas do alcoolismo já estiverem mais avançados, é de notória importância que seja efetuado um tratamento em alguma clínica de reabilitação especializada. Em uma clínica, o idoso irá ter à sua disposição todos os equipamentos, medicamentos e, principalmente, a atenção de profissionais especializados no tratamento, tais como médicos, enfermeiras, psicólogos, entre outros.

Ainda que o paciente resista se submeter ao processo de internação, é imprescindível que a família incentive esse procedimento.

A Clínica Viva Vida, por exemplo, conta com todos os requisitos necessários para promover a plena recuperação dos seus pacientes, atuando com profissionalismo, atenção e carinho.