16 Anos Ajudando Famílias
(11) 4249-2545 (11) 94797-6909

Entenda a Diferença de Alcoólatra e Alcoolista e o seu Tratamento


Entenda a Diferença de Alcoólatra e Alcoolista e o seu Tratamento

Como lidar com um membro da família que precisa de tratamento?

Pode ser muito difícil conviver com um familiar que tem problemas com bebida. Ao invés de tentar controlar esta pessoa ou encobrir o problema, o melhor é encorajá-la a buscar tratamento médico. Ainda que seu familiar se recuse a pedir socorro, pode ser importante você ir atrás de ajuda e suporte para você mesmo.

O alcoolismo está associado a fatores de risco ambientais e genéticos em igual proporção. Uma pessoa cujo pai ou irmão tem alcoolismo apresenta uma probabilidade três a quatro vezes superior de vir ela própria a tornar-se alcoólica.Entre os fatores ambientais estão influências sociais, culturais e comportamentais.O risco é aumentado pelo stress, ansiedade e fácil acesso a bebidas alcoólicas. Quando um alcoólico interrompe o consumo, manifestam-se sintomas de abstinência que podem levar a pessoa a continuar a consumir para prevenir ou aliviar esses sintomas. Em alguns casos, os sintomas de abstinência manifestam-se de forma ligeira durante meses após a interrupção. Em termos médicos, o alcoolismo é considerado uma doença tanto física como psicológica.O diagnóstico de alcoolismo pode ser auxiliado por questionários e análises ao sangue.

Melhor responder com calma, porque não é nada simples diferenciar o bebedor comum do alcoólatra (ou alcoolista). O que define o alcoolismo é a perda de controle no padrão de consumo das bebidas. É isso mesmo: de acordo com os especialistas, nem sempre quem bebe demais é um alcoólatra.

A prevenção do alcoolismo consiste na regulamentação e limitação da venda de bebidas alcoólicas, em taxar o álcool para aumentar o custo de aquisição e em disponibilizar tratamento a baixo custo.O tratamento e a internação em clinica de recuperação é feito em várias etapas.A interrupção do consumo deve ser controlada, uma vez que a abstinência pode levar ao aparecimento de problemas de saúde.Um dos métodos de controlo mais comuns nesta etapa é a administração de benzodiazepinas como o diazepam.

Durante esta etapa, a pessoa pode ser internada numa instituição de saúde ou manter-se em casa sob vigilância atenta da família, amigos ou médicos.A presença de perturbações mentais ou outras dependências pode complicar o tratamento.Após a etapa de desintoxicação, a terapia de grupo ou os grupos de apoio são medidas eficazes que ajudam a pessoa a não voltar a consumir.Um das formas de apoio mais comum são os grupos de alcoólicos anónimos.[19] Nesta etapa, os medicamentos acamprosato, dissulfiram ou naltrexona ajudam a prevenir recaídas.

A Organização Mundial de Saúde estima que em 2010 existissem 208 milhões de pessoas com alcoolismo em todo mundo, o que corresponde a 4,1% da população com mais de 15 anos de idade.A condição é mais comum entre homens e jovens adultos, e vai-se tornando menos comum na meia-idade e na terceira idade.

Sinónimos

Síndrome de dependência alcoólica

Especialidade
Psiquiatria, toxicologia

Sintomas

Consumo de grande quantidade de álcool durante um longo período de tempo, dificuldade em consumir poucas quantidades, o consumo de álcool ocupa uma parte significativa do tempo, o consumo causa problemas, tolerância ao álcool, sintomas de abstinência quando se interrompe o consumo.

 

Entramos em contato


Aceitamos diversos planos de saúde consulte
Planos de saúde