(11) 4249-1373 (11) 94797-6909 (11) 97755-6645
Internação Involuntária

Internação Involuntária

A Clínica Viva Vida é a melhor opção para o tratamento para internação involuntária de pessoas dependentes de substâncias químicas. Afinal, ela possui toda a estrutura e o suporte necessário para lidar com um problema que vem se agravando cada vez mais: o aumento de usuários de drogas nas grandes e pequenas cidades.

Parece muito longe de nossa realidade, mas não é! Muitas vezes se olharmos ao nosso redor com mais calma e com maior foco, veremos pessoas que também fazem uso de substâncias químicas. O quadro está tão grave que a dependência química já é considerada pela OMS como doença, mas como lidar quando o dependente não quer começar um tratamento? É sobre isso que iremos falar ao longo deste post.

Como entender o problema

O consumo de drogas geralmente começa pela curiosidade da pessoa e da sua vontade de perder um pouco da noção da realidade, no entanto elas dificilmente sabem o verdadeiro potencial desse tipo de substância. Após a primeira vez em que tudo parece tão bom, vem a necessidade de sentir novamente o efeito.

Aí que reside o problema: repetição! A maioria do público envolvido começa na juventude, porém não é raro encontrar algumas pessoas com família formada, que também caem já na dependência química. Esse é um problema social grave, visto que o dependente químico pode fazer qualquer coisa com o intuito de obter novamente a droga.

Esse é um dos maiores problemas que os brasileiros vêm enfrentando atualmente, vide o caso da Cravolândia em São Paulo, onde o governo resolveu intervir, porém sem sucesso visto que retornaram para lá.

Como reconhecer o problema?

Muitos pais e mães até possuem ciência de que seus filhos utilizam entorpecentes, tal como a maconha que é conhecida por ser uma “planta natural”, e por vezes acabam deixando que aconteça, pois dessa maneira eles conseguem ter uma “falsa sensação de controle”. Não se engane: você não tem esse controle.  

O jovem que já entrou na dependência da maconha, por exemplo, pode resolver experimentar outro tipo de substância. Afinal, devemos lembrar que o corpo humano é capaz de se acostumar rapidamente com aquele determinado tipo de substância. Dessa forma, a única maneira de obter maior prazer seria usando algo mais forte.

Essa é a causa mais comum para que os jovens procurem outros tipos de substâncias químicas. A pessoa que já está na dependência de qualquer tipo de entorpecente demonstra alguns sinais tal como: irritação, perda de apetite, tremedeira, dores no estomago, entre outros.

Porém devemos sempre lembrar que se a pessoa já está completamente envolvida com os entorpecentes, já está na dependência mesmo os sintomas podem evoluir drasticamente pondo em risco tanto a vida do usuário quanto a vida de terceiros.

Internação Involuntária Clínica Viva Vida    

Ao entender e reconhecer o problema o mais importante é tentar um diálogo com a pessoa, principalmente se for muito próxima, como um filho por exemplo. Esse diálogo não deve conter julgamentos, mas se durante o mesmo não se vê que a pessoa reconhece o problema, então é hora de agir de forma diferente para que não haja um problema maior depois.
A internação involuntária é o tipo de processo que pode ser simples ou não, ela possui respaldo da Lei 10.216 de 06 de abril de 2001 e veio para o momento em que família ou responsáveis não sabem o que fazer com o dependente químico. A internação involuntária divide opiniões, porém ela é uma solução desde que a clínica responsável saiba como lidar.
Se a internação involuntária ocorre de forma correta e o centro é especializado e possui uma equipe multidisciplinar, então tudo fica ainda mais fácil. Principalmente para o próprio dependente. Afinal, a internação involuntária acontece justamente para que o mesmo seja desintoxicado e passe por etapas de ressocialização de uma maneira geral.

Conclusão

A internação involuntária feita através da Clínica tem como principal objetivo restabelecer o contato do dependente químico com a sociedade de uma forma completamente saudável. Além de fazer com que o mesmo consiga reconhecer que realmente tem um problema, que pode ser ajudado e também se ajudar a sair dessa situação. Toda a estrutura é feita para que isso aconteça de forma satisfatória e com muita ética.