Tratamento para dependentes químicos pelo SUS

Tratamento para dependentes químicos pelo SUS


Você sabia que existe tratamento para dependentes químicos pode ser feito gratuitamente pelo SUS? No entanto, no Brasil com a saúde pública defasada, isso parece algo quase impossível de conseguirmos.

Desta forma, precisamos saber como funciona esse processo, e de que forma o paciente e os familiares poderão e deverão buscar ajuda para lidar com a dependência química e alcoólica gratuitamente.

Em alguns casos, é preciso realizar uma internação contra a vontade dos pacientes, sendo assim, é importante que todos entendam porque esses problemas acontecem e como lidar com algo tão delicado.

 

Como funciona o tratamento químico para dependentes químicos pelo SUS?

É importante entender que o SUS oferece sim tratamento para dependentes químicos de forma totalmente gratuita, no entanto, sabemos que ainda é bem difícil encontrar clínicas e hospitais do governo com estrutura e até mesmo profissionais para este tipo de atendimento.

Sendo assim, abaixo você entenderá um pouco mais sobre como funciona todo esse processo para internação, e de que forma ele pode e deve ser solicitado, confira maiores detalhes!

 

Mas quem pode ser internado pelo SUS?

Entenda que a internação pelo SUS realmente é um direito de todos os brasileiros, e isso inclui os casos de dependência química. Porém, sabemos que a saúde pública no Brasil a anos vem sofrendo com tantas dificuldades capazes de dificultar cada vez mais os atendimentos.

 

Como funciona o atendimento ambulatorial?

Antes de tudo, é preciso saber que o SUS sempre prezará o tratamento para dependentes químicos, através de atendimentos ambulatoriais, claramente as internações somente são solicitadas em casos muito graves.

Geralmente esses casos mais graves, o paciente se encontra em um estágio completamente avançado da doença, provavelmente o mesmo já estará com overdose ou crises graves de abstinência.

Sendo assim, a maioria dos casos são atendimentos ambulatoriais, onde um médico acaba por avaliar o paciente e quando preciso prescreve medicações.

 

Como faço para conseguir internação pelo SUS?

É preciso que compreenda que para realmente conseguir o tratamento para dependentes químicos e possivelmente uma internação é bem difícil, e ainda depende de uma análise médica completa.

Sendo assim, a primeira coisa a ser feita é ir em busca de um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) e procurar se informar exatamente sobre quais são os procedimentos necessários, caso não tenha um perto de sua residência, então o ideal é buscar ajuda no posto de saúde mais próximo.

Lembrando ainda, que quando a internação é possível, o que acontece é que o SUS acaba por fazer o encaminhamento para uma instituição credenciada.

Quanto aos procedimentos para internações, saiba que eles seguem o mesmo padrão das clínicas particulares, além disso, as abordagens mais utilizadas são:

Abordagem ambulatorial

Nesse procedimento ambulatorial, o paciente passa então a ser acompanhado pelo médico e psicólogo, além disso, ele é capaz de determinar qual de fato é o melhor método de tratamento para o caso, podendo então ser incorporadas terapias em grupo ou individuais.

Abordagem de desintoxicação

Aqui nesse procedimento, o dependente acaba sendo internado, essa internação pode durar de um a dois meses, justamente porque o mesmo terá que passar por uma desintoxicação química intensiva, ela serve para limpar o organismo por completo.

Lembrando sempre, que esse tratamento é feito com diversos medicamentos, esses acabam ajudando a diminuir os sintomas de abstinência do corpo e com acompanhamento total de médicos e psicólogos.

Abordagem de comunidade terapêutica

Essa é uma abordagem voltada para o tratamento para dependentes químicos, nessa etapa as internações acabam sendo bem mais longas, durando em média 6 meses, nesse tempo a pessoa acaba sendo estimulada a trabalhar e fazer diversas atividades.

Claramente tudo se trata de uma reintegração social do dependente para que o mesmo possa ter uma rotina normal e ainda um restabelecimento de laços familiares.

Abordagem da moradia assistida

Sobre essa abordagem, entenda que ela é recomenda para aqueles pacientes que não possuem família ou ainda pessoas próximas capazes de tomar conta deles.

Sendo assim, esse é um lugar bem especial, e serve para que ex usuários passem pela abstinência, eles possuem permissão para trabalhar, fazer atividades fora do local e até mesmo estudar.

Além disso, com outras pessoas nesse mesmo tipo de situação claramente é possível desenvolver então um maior senso de responsabilidade e principalmente impessoalidade.

Como funcionam as internações em clínicas particulares?

Em alguns casos, certamente o tratamento para dependentes químicos acaba funcionando através de internações, lembrando que são três tipos de internações realizadas pelas instituições privadas: voluntária, involuntária e compulsória.

Internação voluntária

Quanto a internação voluntária, é preciso entender que ela diz respeito ao fato de que a pessoa acaba então querendo se tratar, sendo que o paciente ainda procura a clínica por vontade própria ou ainda reconhece que possui problemas.

Na maioria dos casos isso não é o que acontece infelizmente, e muitas vezes a pessoa não reconhece que possui dependência em uma substância e que deve se tratar para se livrar da mesma.

Porém, quando o tratamento ocorre sempre de forma voluntária, então essa é a melhor das opções, justamente porque ele é extremamente recomendado pelos profissionais da saúde, justamente porque o doente já está consciente de sua dependência e que precisa lidar com ela.

Isso acaba sendo capaz de auxiliar o bastante permitindo o aumento das chances de eficácia de tratamento, justamente porque contará com uma cooperação ainda maior do dependente, ele aceitará todas as etapas, e isso inclui a internação, o processo é realizado com maior facilidade.

Internação involuntária

Obviamente não é sempre que o paciente aceita o tratamento para dependentes químicos, a pessoa que sofre com a dependência e não possui consciência do fato, acaba negando-se a buscar ajuda, e isso vai agravando a situação dela aos poucos.

Em determinadas situações como essa, saiba que a forma de tratamento mais indicada é a internação involuntária.

Nesse mesmo caso, em que a pessoa não reconhece sua dependência, acaba então fazendo com que o mesmo se sinta relutante em aceitar esse tratamento, por isso o mesmo não se interna por vontade própria.

Desta forma, quando ocorre esse problema, então será necessário que a família ou até mesmo um responsável pelo paciente, acabe intervindo diretamente isso acabará fazendo com que essa pessoa seja internada mesmo que não seja sua vontade.

É preciso entender que a internação involuntária visa claramente garantir o bem estar do paciente, além de que ainda protege todas as pessoas que estão ao seu redor, justamente porque muitas vezes ele não é responsável mais por suas ações.

Nesse caso, quando é preciso um tratamento para dependente químico, e quando a situação foge do controle, então a internação involuntária pode e deve ser feita apenas com consentimento de familiares, ou responsável quando a pessoa não possui parentes próximos.

Logo, é bem claro que o paciente certamente não precisará autorizar ou ainda estar de acordo com sua internação para o tratamento ser realizado, tudo é feito visando o bem estar e guardando a vida do dependente.

Internação compulsória

Sobre a internação compulsória, o que todos precisam dizer é que depois que o individuo ser acolhido por este estabelecimento, sendo que somente um especialista poderá interferir e finalmente definir quando esse tratamento terá fim.

Já no caso de uma internação involuntária, o próprio juiz ou um familiar, podem sim solicitar a interrupção ou o encerramento desse tratamento em questão.

Em relação a internação compulsória, saiba que a mesma é realizada quando o Juiz ou o Estado solicitam a interdição através de um pedido da família ou não. Caso a solicitação seja feita pela família, é preciso:

  • Levar o paciente diretamente no CAPS e então pegar um laudo diretamente com o psiquiatra;
  • Depois de pegar esse laudo em questão, será preciso levar ao Fórum da Cidade, e então pedir ao Estado a internação compulsória do paciente;
  • Faça o possível para tentar falar com o juiz pessoalmente;
  • Nesse caso específico o Estado é capaz de ajudar diretamente com o pagamento da clínica para aquelas pessoas que são mais carentes;

Claramente a diferença entre esse tipo de internação e a involuntária, é que a última pode ser feita diretamente com a Clínica, não será preciso de um laudo pois os psiquiatras já trabalham internamente.

Na internação involuntária, os psiquiatras precisam apenas informar ao Ministério Público que o paciente foi então internado no prazo de 72 horas.

Qual será o tempo de internação?

Uma das dúvidas mais comuns dos pacientes e até mesmo de seus familiares, diz respeito justamente ao tempo de internação que a pessoa deverá ser submetida, sendo assim, é importante ter algumas informações a respeito.

O tratamento para dependentes químicos é interessante e imprescindível para lidar com o vício, sendo assim, a primeira informação que você precisa saber é que não há um tempo de tratamento único capaz de ser aplicado a todos pacientes.

Certamente cada pessoa é única, e obviamente responde ao tratamento recebido de forma diferente, sendo que alguns podem passar um tempo mínimo na clínica, e outros precisariam estender sua permanência ao máximo para conseguir resultados mais eficazes.

De maneira geral, sabidamente o tempo de tratamento em uma clínica deve variar de 90 a 180 dias, sendo que logicamente essa acaba sendo apenas uma média geral ou ainda uma estimativa baseada na experiência de pessoas que trabalham a anos nessa área.

Porém, justamente devido a individualidade de cada paciente, esse tempo realmente poderá até mesmo ser superior ao máximo que foi mencionado anteriormente, sendo ainda que justamente a situação acaba sendo bastante grave.

É preciso que os pacientes e familiares compreendam que não existe a mínima possibilidade de estimular um prazo completamente exato, tanto para a eficácia quanto para o término do tratamento para dependentes químicos.

Logicamente existem alguns fatores que são capazes de influenciar no tempo de internação, sendo que os principais deles são os seguintes:

  • Tudo dependerá do tipo de droga, ou ainda de substância química que era então consumida pelo adicto;
  • Dependerá se a pessoa ainda consumia mais de um tipo de droga ao mesmo tempo, e de quais eram essas substâncias;
  • Por quanto tempo o mesmo fez uso dessa substância até o momento em que a internação e o tratamento começaram a ser feitos;
  • Dependerá de qual a quantidade média era consumida diariamente dessa droga;
  • Dependerá ainda da idade do paciente, afinal ela influencia o bastante nos resultados;

 

É preciso lembrar que esses fatores certamente influenciarão no tratamento para dependentes químicos, e ainda devem ser informados pelo próprio paciente ou ainda por seus familiares durante o momento em que a internação qualquer que seja ela é realizada.

Além disso, é justamente por meio dessas informações que realmente será possível que a equipe de profissionais de fato consiga compreender qual é o melhor tipo de tratamento disponível para aquele paciente em questão.

Lembrando sempre, que o tempo de duração desse tratamento do paciente em questão, ao menos inicialmente deverá ser especificado a partir de todos os fatores e da avaliação médica em questão.

Logicamente que quanto mais a situação prévia da pessoa for informada, então mais fácil será compreender quanto da saúde física e psicológica dos mesmos foram afetadas, assim como é a dependência que o mesmo possui.

Quais profissionais realizam atendimentos aos dependentes químicos?

Saiba que para o tratamento para dependentes químicos obter sucesso, é essencial que a clínica em questão conte com uma equipe multiprofissional completamente qualificada.

Lembre-se que dentro desse contexto cada profissional acaba possuindo determinada função, e cada uma delas é mesmo essencial dentro da questão global desse tratamento, ela ainda é completamente eficaz principalmente concedendo então o resultado final do mesmo.

Além disso, as equipes multiprofissionais tendem a ser formadas por alguns profissionais, entre os mesmos:

  • Profissionais da nutrição;
  • Médicos psiquiatras;
  • Educadores físicos;
  • Técnicas de enfermagem;
  • Psicólogos;
  • Terapeutas holísticos;
  • Enfermeiras;
  • Equipes de monitoramento;
  • Terapeutas ocupacionais;

Sendo assim, nenhuma área deve ser deixada de lado no atendimento para o paciente dependente químico, garantindo então uma abordagem mais completa e que possui maiores chances de sucesso.

No caso da Clínica Viva Vida,  não oferece tratamento para dependentes químicos gratuito, no entanto, ainda orientam aos familiares a encontrar os melhores locais para que os pacientes possam se recuperar tendo qualidade de vida.