Tratamento para dependentes químicos pelo SUS

Tratamento para dependentes químicos pelo SUS


O SUS oferece internação para os dependentes químicos de forma gratuita. Porém, ainda é muito difícil encontrar hospitais e clínicas do governo com estrutura e profissionais para esse tipo de atendimento. 

Quem pode ser internado pelo SUS? 

A internação pelo SUS é um direito de todos os brasileiros, mesmo nos casos de dependência química. Porém, é de conhecimento de todos que a saúde pública no Brasil sofre com as dificuldades que podem dificultar o atendimento. 

Prioridade ao atendimento ambulatorial 

O SUS prioriza os atendimentos ambulatoriais e as internações são solicitadas apenas em casos graves, em que o dependente já se encontra em um estágio mais avançado da doença, como overdose e crises de abstinência. Para isso, deve ser realizada uma avaliação médica que possa dar o diagnóstico. 

Como conseguir internação pelo SUS? 

Conseguir uma internação pelo SUS não é fácil e depende de uma análise médica. Por isso, a primeira coisa a fazer é procurar por um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) e se informar sobre os procedimentos que são necessários. Caso não tenha um CAPS perto, o indicado é ir até o posto de saúde mais próximo para saber se há psiquiatras atendendo. 

Quando a internação é possível, o SUS faz o encaminhamento para uma instituição credenciada. 

Procedimentos 

Os procedimentos para internação seguem o mesmo padrão tanto pelo SUS, como em clínicas particulares. As abordagens utilizadas são: 

Ambulatorial 

No procedimento ambulatorial, o dependente passa por acompanhamento médico e psicológico. Eles vão determinar qual é o melhor método de tratamento para o caso, podendo ser incorporadas terapias individuais ou em grupos. 

Desintoxicação 

Nesse procedimento, o dependente é internado por um período de 1 a 2 meses para uma desintoxicação química intensiva para “limpar” o organismo. O tratamento é feito com medicamentos que ajudam a diminuir os sintomas de abstinência do corpo e com o acompanhamento de médicos e psicólogos. 

Comunidade terapêutica 

Essa etapa é caracterizada pelas internações mais longas, com uma média de 6 meses, em que a pessoa é estimulada a trabalhar e fazer várias atividades. Trata-se de uma reintegração social do dependente à uma rotina normal e um restabelecimento dos laços familiares. 

Moradia assistida 

A moradia assistida é recomenda para os pacientes que não possuem uma família ou outras pessoas próximas. Trata-se de um lugar especial para ex-usuários passarem pela abstinência, com permissão para trabalhar, estudar e outras atividades fora do local. Com outras pessoas na mesma situação, é possível desenvolver uma interpessoalidade e um maior senso de responsabilidade. 

Quando é necessário procurar por ajuda? 

Assim que percebemos que uma pessoa próxima está usando drogas, devemos ir atrás de ajuda imediatamente. A dependência química é uma doença que precisa de atendimento e acompanhamento profissional. 

Clínica Viva Vida 

Nos casos em que a internação é a melhor opção, nós da Clínica Viva Vida não oferecemos tratamento gratuito público, mas orientamos as famílias a encontrar os melhores lugares para que os dependentes químicos possam se internar e voltar a ter uma vida “limpa”.